• Federação Nacional

A luta contra os despedimentos nas escolas deu os seus frutos!

A decisão tomada pelo Governo, no Conselho de Ministros de 13 de Agosto, no sentido de poderem ser prorrogados os contratos a termo resolutivo dos trabalhadores não docentes, designadamente aqueles que foram celebrados no ano lectivo de 2017/2018, é fruto da luta e denúncia persistente desta Federação contra a política de precariedade e de instabilidade de emprego nas escolas da Rede Pública.


Nota à Comunicação Social


AOS TRABALHADORES NÃO DOCENTES

DAS ESCOLAS DA REDE PÚBLICA


A LUTA CONTRA OS DESPEDIMENTOS NAS ESCOLAS

DEU OS SEUS FRUTOS!


A decisão tomada pelo Governo, no Conselho de Ministros de 13 de Agosto, no sentido de poderem ser prorrogados os contratos a termo resolutivo dos trabalhadores não docentes, designadamente aqueles que foram celebrados no ano lectivo de 2017/2018, é fruto da luta e denúncia persistente desta Federação contra a política de precariedade e de instabilidade de emprego nas escolas da Rede Pública.


Não conhecendo o texto do diploma legal aprovado, podemos dizer que no imediato, estão reunidas as condições para que todos os trabalhadores que terminariam os seus contratos em 31 de Agosto, possam continuar em funções, não ficando em causa, para já, o seu posto de trabalho.


Contudo, não foi anunciada pelo Governo, a possibilidade de virem a ser abertos os concursos para que estes trabalhadores possam vir a celebrar contratos de trabalho em funções públicas sem termo, o que se impõe que seja concretizado urgentemente, já que estes e todos os outros trabalhadores com contratos a termo desempenham funções que

correspondem a necessidades permanentes das escolas.


A permanência e efectividade de funções nas escolas da Rede Pública já existia, mesmo antes da pandemia do COVID-19, situação que só veio reforçar essa mesma necessidade, tendo em conta a falta de pessoal não docente há muito existente nos estabelecimentos de ensino, o que tem posto em causa a qualidade da Escola Pública inclusiva e universal.


A Federação Nacional dos Sindicatos dos Trabalhadores em Funções Públicas e Sociais saúda todos os trabalhadores não docentes que persistentemente têm lutado contra a precariedade e pela estabilidade de emprego que viram agora e mais uma vez reconhecida a justeza das reivindicações colocadas.


14/08/2020

O Gabinete de Informação

39 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Trabalhadores das IPSS exigem melhores salários

Um centena de dirigentes, delegados e trabalhadores das Instituições Particulares de Solidariedade Social, concentraram-se no passado dia 23 de Setembro, à porta do Ministério do Trabalho, para exigir

Transferência de competências da acção Social

Menos direitos para as populações! Imposição de deveres aos municípios! Ausência de negociação com os sindicatos! O Governo deu mais um passo para a contretização do processo de transferências de comp

Receba nossas atualizações

  • Ícone do Facebook Branco